Ebook Guia de coprodutores v2.pdf

Published on
Scene 2 (14s)

Para começar a entender o caminho que trilhei e o que quero passar aqui, eu trouxe essa foto. Por mais de dez anos, fiz o percurso para o trabalho a partir dessa parada de ônibus. Isso começou com um primeiro emprego aos 14 anos, foi pausado quando fui ao Mosteiro e depois retomado, quando, por mais de cinco anos, eu trabalhei com financiamento bancário, licitações e, por último, projetos na área de tecnologia. Meu percurso não foi linear, foi cheio de idas e voltas, porque eu vivia tentando me adaptar ao 2

Scene 3 (39s)

modelo de trabalho CLT. Entrei e sai de uma infinidade de empresas, por conta propria mesmo. Na esperanqa de que na pröxima eu pudesse trabalhar sossegada. E quando digo

sossegada, näo falo de ter pouco trabalho. Me refiro ås politicas internas, "puxaqöes" de saco e picuinhas presentes nas empresas. Se vocé trabalha em uma, sabe bem como é. E segui procurando todo tipo de negöcio e renda extra que me permitisse viver fora da CLT.

Vendi muambas na internet, prestava serviqo de conserto de computador, freelas

Eu bati em muitas portas! E ouvi muitos näos. E é justamente porque eu conheqo o desgaste, a frustraqäo e a humilhaqäo que é isso, que agora quero ajudå-lo a encurtar esses passos. Mas entenda, näo fago porque sou melhor ou por

caridade, fago porque gostaria de ter encontrado isso enquanto estava perdida.

modelo de trabalho CLT. Entrei e saí de uma infinidade de

empresas, por conta própria mesmo. Na esperança de que na próxima eu pudesse trabalhar sossegada. E quando digo

sossegada, não falo de ter pouco trabalho. Me refiro às políticas internas, puxações de saco e picuinhas presentes nas

empresas. Se você trabalha em uma, sabe bem como é.

E segui procurando todo tipo de negócio e renda extra que me permitisse viver fora da CLT. Vendi muambas na internet, prestava serviço de conserto de computador, freelas

administrativos.

Eu bati em muitas portas! E ouvi muitos nãos.

E é justamente porque eu

conheço o desgaste, a frustração e a humilhação que é isso, que agora quero ajudá-lo a encurtar esses passos. Mas entenda, não faço porque sou melhor ou por caridade, faço porque gostaria de ter encontrado isso enquanto estava perdida.

Scene 4 (1m 48s)

O PONTO DE VIRADA (Tio

e TiPlCO 2NADA) de uma )deriamos leiro para zou sem e

Um dia, estava no trabalho, quando recebi uma ligaqäo dizendo que minha mäe havia caido e estava bastante machucada. Eu sempre tive uma relaqäo bastante invertida com semana. Ela precisou cirurgia que nos näo pagar. Eu mal tinha dink os remédios. Ela fic cirurgia, o que prolongo o tratamento.

minha mäe, porque meu pai, como tantos pais hoje em dia, era extremamente abusivo e nos tivemos que sair de casa fugidas. Desde entäo, eu mais cuidava dela que o contrårio. Lembro-me com bastante vivacidade do sentimento de fracasso que eu carreguei naquela Mas Deus é bom, e eu de amigos com fisioterapia e apoio também. Ainda assim, esse acont foi a gota d'ågua para r de certa forma, jå

Um dia, estava no trabalho, quando recebi uma ligação

dizendo que minha mãe havia caído e estava bastante

machucada. Eu sempre tive uma relação bastante invertida com minha mãe, porque meu pai, como tantos pais hoje em dia, era extremamente abusivo e nós tivemos que sair de casa fugidas. Desde então, eu mais cuidava dela que o contrário.

Lembro-me com bastante

vivacidade do sentimento de fracasso que eu carreguei naquela

semana. Ela precisou de uma cirurgia que nós não poderíamos pagar. Eu mal tinha dinheiro para os remédios. Ela ficou sem cirurgia, o que prolongou demais o tratamento.

Mas Deus é bom, e eu tive ajuda de amigos com remédios,

fisioterapia e apoio emocional também.

Ainda assim, esse acontecimento foi a água para mim, que,

de certa forma, já estava

O PONTO DE VIRADA (TÄo TiPlCO

4

Scene 5 (2m 56s)

acomodada ao desconforto do trabalho vazio e sem sentido. Naquele final de ano que

acomodada ao desconforto do trabalho vazio e sem sentido.

Naquele final de ano que

passamos no hospital, eu decidi que daria um jeito de uma vez por todas na vida apática e miserável que estava vivendo.

MUNDO COMUM Eu estava apåtica, sem grandes obietivos. CHAMADO ÄAVENTURA Minha mäe se acidentou e precisou de cuidados.

PRQVACÄO MAXIMA Virei noites, fiz reuniöes ås escondidas, pulei almoqos. APROXIMACÄO DO OBJETIVO Me encontrei e notei que precisari me esforqar muitc

RECUSAAO CHAMADO Ainda me mantive na CLT por um tempo antes de sair. ENCONTRO COMO MENTOR Entrei no ONM, do icaro de Carvalho.

TESTES, ALIADOS CRUZAMENTO E INIMIGOS DO UMIAR Um amigo me Comecei a estudar ia convidou para uma coproduqäo. em qualquer minuto livre do dia.

CONQUISTA DA RECOMPENSA O projeto foi um sucesso. CAMINHO DE VOLTA Senti enorme felicidade por DEPURACÄQ/ RESSUREICAO Com ajuda, mas ainda com medo, O RETORNO TRANSFORMADO Toda sorte de oportunidades

5

Scene 6 (3m 34s)

Voltei a estudar, procurei no Youtube conteúdos que me ajudassem a melhorar meu currículo, minhas entrevistas de emprego e, após muitas dezenas de candidaturas a vagas de emprego, finalmente consegui um emprego melhor. Foi na área de projetos de uma multinacional. Tomei gosto por aquilo, fazia muitas horas extras e rapidamente fui promovida. Troquei de empresa, fui novamente promovida. Segui estudando e aplicando bastante, ficava depois do horário. Mas é sempre aquilo, é difícil crescer na CLT. Negociar um aumento é um evento grande e, na maioria das vezes, ele será negado. Foi aí que eu percebi que o problema não era o trabalho e sim o modelo CLT. Nessa época, eu percebi, observando os meus colegas, que eu já tinha mais conhecimento que a maioria deles e, principalmente, passei a valorizar isso. LEIA ISSO COM MUITA ATENÇÃO: É MUITO COMUM QUE VOCÊ NÃO 6

Scene 7 (4m 10s)

ENXERGUE O QUANTO É BOM EM ALCO. É MUITO COMUM vocÉ SE ACHE UM BOSTA, QUE Nio DEU CERTO E Nio SE Foi fåcil? Näo. Foi bom- senti viva de novo! Depois de dois meses c intenso, eu vi uma procurando um des

ENCAIXA. E comum que vocé viva olhando os méritos alheios, vendo os outros sendo felicitados enquanto seu esforqo passa despercebido. É comum. Näo quer dizer que vocé precisa viver nessa sarjeta a Vida inteira. indiquei um amigo do me chamou para execute o projeto de Ianqamento Eu estava na CLT e prc meus pulos: virava a tirava almoqo, fazia re escondidas. Trabalhei nesses dias e o projet sucesso.

? Foi. Me de estudo pessoa iigner e Jrupo. Ele ir com ele ecisei dar 10ite, näo n.lniäo ås i muito :o foi um e vocé jå mundo, traz. REUNIA de casa; meus tava mais Irio;

Um dia, vagueando pelo feed do Facebook, vi uma pessoa falando sobre marketing digital. Ali, eu encontrei a saida. Entrei no O Novo Mercado, do icaro de Carvalho, e seguia estudando todo milimetro de A CO-PRODUCÄO I TUDO QUE EU QUER Poderia trabalhar Poderia escalar ganhos — näo est presa ao meu salå Havia um esforqo

em média 3 horas e meia no önibus todos os dias e lia, via as aulas, fazia as Usava meu horårio de almoqo. Alguns dias, saia de casa as 05 e pouco da manhä para chegar mais cedo lå e estudar no siléncio. pelo resultaa apenas por agrad Eu teria liber horårio e local ( morava em B moro em Curitiba) Poderia trabalh pessoas que eu

ENXERGUE O QUANTO É BOM EM ALGO. É MUITO COMUM QUE VOCÊ SE ACHE UM BOSTA, QUE NÃO DEU CERTO E NÃO SE ENCAIXA.

É comum que você viva olhando os méritos alheios, vendo os outros sendo felicitados enquanto seu esforço passa despercebido. É comum. Não quer dizer que você precisa viver nessa sarjeta a vida inteira.

Finalmente, o meu ponto de virada chegou e o que eu quero com esse e-book, é que o seu também aconteça.

Um dia, vagueando pelo feed do Facebook, vi uma pessoa falando sobre marketing digital.

Ali, eu encontrei a saída.

Entrei no O Novo Mercado, do Ícaro de Carvalho, e seguia estudando todo milímetro de tempo que eu tinha livre. Passava em média 3 horas e meia no ônibus todos os dias e lia, via as aulas, fazia as anotações. Usava meu horário de almoço. Alguns dias, saía de casa às 05 e pouco da manhã para chegar mais cedo lá e estudar no silêncio.

Foi fácil? Não. Foi bom? Foi. Me senti viva de novo!

Depois de dois meses de estudo intenso, eu vi uma pessoa procurando um designer e

indiquei um amigo do grupo. Ele me chamou para executar com ele o projeto de lançamento.

Eu estava na CLT e precisei dar meus pulos: virava a noite, não tirava almoço, fazia reunião às escondidas. Trabalhei muito

nesses dias e o projeto foi um sucesso.

Era o meu caminho. Se você já encontrou seu lugar no mundo, sabe a felicidade que isso traz.

A CO-PRODUÇÃO REUNIA TUDO QUE EU QUERIA

Poderia trabalhar de casa; Poderia escalar meus

ganhos não estava mais presa ao meu salário; Havia um esforço de todos pelo resultado e não

apenas por agradar o chefe; Eu teria liberdade de

horário e local (na época morava em Brasília, hoje moro em Curitiba); Poderia trabalhar com

pessoas que eu admirava e

7

Scene 8 (6m 10s)

em projetos que mudam a Vida das pessoas. Fiz contas, juntei uma grana, com muito esforqo. Uma amiga chamada Luciana — a quem devo Pedi demissäo. Para a minha surpresa, a gostava do meu trabal contratou como consult(

muito — me ajudou com apoio e disse que ajudaria me financeiramente caso precisasse. Eu näo dizia a ninguém, mas estava morrendo de medo. Medo de faltar as coisas em casa, medo de näo dar certo e passar vergonha, medo de perder um emprego que näo era perfeito, decisäo, porque toda acontecimentos, enco oportunidades se apre para mim. Como diz esse trecho gosto muito:

em projetos que mudam a vida das pessoas.

Fiz contas, juntei uma grana, com muito esforço. Uma amiga

chamada Luciana a quem devo muito me ajudou com apoio e disse que me ajudaria

financeiramente caso precisasse.

Eu não dizia a ninguém, mas estava morrendo de medo. Medo de faltar as coisas em casa, medo de não dar certo e passar vergonha, medo de perder um emprego que não era perfeito, mas era bom.

Mas ao mesmo tempo eu

precisava muito daquela mudança e segui em frente.

Pedi demissão.

Para a minha surpresa, a empresa gostava do meu trabalho e me contratou como consultora.

E que incrível foi tomar essa decisão, porque toda sorte de acontecimentos, encontros e

oportunidades se apresentaram para mim.

Como diz esse trecho de que gosto muito:

.Com relacäo a t0d0S os atos verdade båsica, a ignorancia a qu

compromete, a providéncia tan coisa ocorre para ajudar uma Pl ocorrido. Toda uma sucessäo de a de comecar, provocando, a favor encontros e assisténcia materi sonharia que lhe acontecesse.Ap

le iniciativa (e criacä0), hå uma "nica lal mata inümeras ideias, e espléndidos

nbém comeca a se mover. Todo tipo de essoa que de outra forma jamais teria Icontecimentos tem inicio com a decisäo Ie uma pessoa, toda sorte de incidentes, lal Inesperados, que ninguém Jamais undi a ter um profundo respeito por um

Comece agora". W. H. MURRAY THE SCOTTISH HiMALAYAN EXPEDITION

8

Scene 9 (7m 29s)

Fiz mais de 20 langamentos, somei com os experts mais de dois milhöes de reais em faturamento. A minha vida mudou Agora que vocé jå vi possivel para QUALQUE quero que vocé se comF acompanhar e a aplica que serå ensinado aq posso lhe garantir

completamente. Eu era resistente extremamente aparecer na internet e hoje tenho quase 8 mil alunos. E trabalho indiretamente com mais de 4 mil. Näo canso de me surpreender com as possibilidades do digital. Com o quanto sua Vida pode mudar de repente. Eu, as vezes, resultado serå inevitåvel PEGUE SEU CADERI BLOCO DE NOTAS, DESLIGUE DE UMA SUAS NOTIFICACÖE LEIA COM ATENCÄO

Fiz mais de 20 lançamentos, somei com os experts mais de dois milhões de reais em

faturamento.

A minha vida mudou

completamente. Eu era

extremamente resistente a

aparecer na internet e hoje tenho quase 8 mil alunos. E trabalho indiretamente com mais de 4 mil.

Não canso de me surpreender com as possibilidades do digital. Com o quanto sua vida pode mudar de repente. Eu, às vezes, fico brava inclusive, porque tem tanta oportunidade aqui e tem tanta gente se lascando em empregos que pagam mal, em ônibus lotado, com chefe maluco.

É incrível.

Num dia você ganha 4 mil reais por mês e no outro ganha isso em uma hora.

E tudo isso podendo trabalhar de qualquer lugar do mundo. Como não desejar algo assim? E como não querer compartilhar isso com o máximo de pessoas possível?

É por isso que a demanda por conhecimento a respeito da coprodução cresceu tanto e

decidi profissionalizar essa mão de obra com meus conhecimentos técnicos de gestão de projetos!

Agora que você já viu que é possível para QUALQUER um, eu quero que você se comprometa a acompanhar e a aplicar tudo o que será ensinado aqui, e eu posso lhe garantir que o

resultado será inevitável.

PEGUE SEU CADERNO OU BLOCO DE NOTAS, DESLIGUE DE UMA VEZ SUAS NOTIFICAÇÕES E LEIA COM ATENÇÃO.

9

Scene 10 (8m 40s)

A coproduqäo é uma profissäo näo regulamentada (ainda bem), em que uma pessoa, conforme negociaqäo firmada com o expert, executa uma Série de tarefas relacionadas a Ianqamento de produtos e serviqos digitais. O coprodutor é como um gerente fortemente que produza, para atrair bons experts e até mesmo vender os pröprios produtos, como eu fago. É uma fungäo que pode ser exercida remotamente e tem proporcionado a uma boa quantidade de pessoas um 6timo

A coprodução é uma profissão não regulamentada (ainda bem), em que uma pessoa, conforme negociação firmada com o expert, executa uma série de tarefas relacionadas a lançamento de produtos e serviços digitais.

O coprodutor é como um gerente de projetos do lançamento e atua de forma discreta, se assim preferir, sem que precise aparecer on-line ou mesmo produzir

conteúdo. Embora eu recomende

fortemente que produza, para atrair bons experts e até mesmo vender os próprios produtos, como eu faço.

É uma função que pode ser exercida remotamente e tem proporcionado a uma boa

quantidade de pessoas um ótimo retorno financeiro.

Normalmente, o coprodutor

recebe porcentagem em cima das vendas que variam muito,

conforme a negociação com o expert. No meu caso, como

10

Scene 11 (9m 35s)

evoluqäo natural do negöcio, tomei-me socia do meu expert. As plataformas de venda de infoprodutos jå estäo prontas para esse modelo de negöcio e jå

dividem a porcentagem de cada um. Bem como as plataformas de NF, que podem dividir a quantidade de notas que cada um vai emitir. Ou seja, o mercado jå estå pronto pra nossa atuaqäo e as oportunidades contidas nele säo gigantes.

evolução natural do negócio, tornei-me sócia do meu expert.

As plataformas de venda de infoprodutos já estão prontas para esse modelo de negócio e já dividem a porcentagem de cada um. Bem como as plataformas de NF, que podem dividir a

quantidade de notas que cada um vai emitir.

Ou seja, o mercado já está pronto pra nossa atuação e as

oportunidades contidas nele são gigantes.

Scene 12 (10m 15s)

Uma das perguntas que mais recebo é essa.

Quero começar explicando alguns pontos importantes.

O coprodutor não precisa

necessariamente saber fazer

tráfego pago ou ser um exímio redator publicitário. Ele precisa entender os processos que

abarcam um lançamento e o que é necessário para executá-lo. Entendendo isso, ele pode

terceirizar todo o resto.

Claro, eu particularmente acredito que agrega muito que o

coprodutor seja bom em tráfego e copy, por isso sempre recomendo que se escolha um dos dois para se investir e ficar muito bom.

ALÉM DISSO, ELENQUEI SEIS HABILIDADES QUE EU CONSIDERO FUNDAMENTAIS PARA EXERCER ESSA FUNÇÃO.

12

Scene 13 (10m 53s)

O coprodutor irá navegar em muitos ambientes, seja na própria busca pelo seu expert, seja na busca por parceiras, na

contratação de serviços ou no convívio com os grupos de marketing, que são ótimos

espaços para buscar experts.

Sendo assim, é fundamental que ele se relacione bem, escute mais e fale menos. Ajude as outras pessoas no que puder e, com o tempo e com o caixa, vá comprando acesso a

comunidades e cursos para

ampliar sua base de

relacionamento.

O coprodutor normalmente fica responsável pelo suporte aos alunos, seja ele mesmo fazendo

isso diretamente, seja

contratando alguém para essa função. Por isso também precisa saber se relacionar bem com os clientes.

Nada de ser aquela pessoa sem noção, que fala como um

papagaio e fica forçando a barra com pessoas mais conhecidas, tentando criar um vínculo que não tem.

O que eu recomendo é que você faça isso com certa classe e delicadeza.

Criar relacionamento é como uma dança: você harmoniza os passos com a pessoa, mas não o faz aos solavancos.

Sempre ofereça antes de pedir qualquer coisa. Isso é

fundamental para se relacionar bem com as pessoas. Meu maior projeto hoje nasceu assim: eu ofereci um suporte gratuito sem quaisquer segundas intenções.

OLVER ENTOS

13

Scene 14 (11m 52s)

Lançamentos são projetos, e projetos precisam de uma organização, uma sequência lógica. O coprodutor, como responsável por todo o processo/projeto, precisa ser capaz de organizar múltiplas demandas, seja para ele ou para a equipe, e não se perder no meio disso. Cabe a ele instruir, direcionar e dar suporte à equipe e ao próprio expert. Sem domínio pleno do próprio tempo, ele não passará de uma barata tonta indo de um lado para o outro. Entenda que você é o tecelão que une todas as pontas do projeto. Não sou eu, não é o Ícaro ou o Vinhas, é você. Então, não fique confiando nos produtores maiores para te salvarem nos apuros. Se organize e monte sua estrutura para rodar bem o projeto, entre outras coisas.

Scene 15 (12m 24s)

Essa provavelmente é a

habilidade mais difícil de ser desenvolvida, mas é totalmente possível se houver esforço no estudo e dedicação sobre-

humana na execução.

Para que isso seja desenvolvido, o coprodutor precisa estudar não apenas a fórmula X ou Y, mas também estratégias de marketing, de comportamento e de vendas.

O coprodutor precisa entender as possibilidades que o expert tem, ser capaz de montar uma esteira de produtos, uma estratégia de comunicação, um formato de lançamento que funcione para aquele público.

Não será um único curso ou uma única estratégia que trará isso. Serão vários cursos, muito

conhecimento, várias conversas e, principalmente, bastante

execução.

Quem diz que pode ensinar tudo isso a você num único produto está mentindo.

Só no último ano, investi 100 mil reais em cursos e treinamentos, sempre em busca de alguns milímetros a mais de

conhecimento que irão me ajudar a melhorar os resultados.

É difícil? É, mas não se intimide. Coloque como meta desenvolver todas essas habilidades e estude como se sua vida dependesse disso.

15

Scene 16 (13m 14s)

Aqui vai o meu principal

aprendizado nesse mercado:

aquilo em que você foca cresce.

E para isso você precisa aprender a dizer não , coisa para que o povo latino parece ter uma dificuldade natural.

Você terá que dizer não a uma série de coisas, e vou listar as principais:

E, principalmente:

Você precisará abrir mão do medo de errar, do fracasso e da vergonha, porque isso irá

acontecer e é um processo natural. Quanto mais cedo você aprender a lidar bem com isso, menos doloroso será.

Distracöes em grupos do WhatsApp (eu sai de todos que näo eram de trabalho, inclusive os de estudo). Distracöes do cotidiano, games, TV, trivialidades que voci faz por estar no automatico. Exce infor ento cabe

16

Scene 17 (13m 53s)

Juntei em uma só todas essas qualificações porque estão intimamente ligadas. Nosso mercado não é formal e isso é uma benção, mas também pode se tornar uma maldição.

Uma estratégia que funciona muito bem hoje pode não funcionar de jeito nenhum

amanhã. Isso requer que você seja rápido na execução e não fique pensando na morte de bezerra o dia todo ou a cada vez que precise tomar uma decisão. É necessário pensar rápido e com clareza.

É aqui que as horas de estudo valerão a pena. Você já terá uma biblioteca de conhecimentos que irão auxiliá-lo no momento da tomada de decisão.

Algo deu errado? Você recorre a isso para consertar a rota. Não poderá se deitar no chão em posição fetal, esperando que

outra pessoa resolva o problema para você.

Você precisa ser capaz de liderar, puxar o time, ser o exemplo, animar o expert e tomar decisões difíceis. Parece coisa de outro mundo para você? Não é. Isso é basicamente ser adulto.

Outro ponto é que você precisa ser um autodidata. Não pode se confiar que as caixinhas do Instagram vão lhe ensinar tudo que precisa.

Aprenda a usar o Google, a fazer as perguntas corretas, a

pesquisar, a testar, errar, repetir, repetir, repetir.

E principalmente a corrigir o erro e executar. TODO dia é dia de execução. É onde você mais irá aprender.

Não tenha preguiça de executar algo e precisar refazê-lo quantas vezes forem necessárias. O

EFU

17

Scene 18 (14m 56s)

Coprodutor precisa dominar o processo de langamento de capa a capa e sé conseguirå isso pondo em pråtica tudo o que aprende.

Coprodutor precisa dominar o processo de lançamento de capa a capa e só conseguirá isso pondo em prática tudo o que aprende.

Scene 19 (15m 18s)

Eu sempre tive mentores. Só não sabia que eles tinham esse nome.

Mentores são pessoas que já andaram um pouco mais do que eu, que já passaram por certas dificuldades e que podem, graças a isso, encurtar meu caminho, acelerar meus passos e me auxiliar quando eu não estiver enxergando com clareza.

São pessoas em quem confio, que me encorajam. Podem ser bons amigos, bons mestres, bons professores, pode ser alguém que você pague ou alguém que já te ajuda. O importante é que você tenha alguém com quem dividir a caminhada, porque empreender online é solitário e, após os primeiros fracassos, você sentirá a tentação de desistir.

Além, é claro, de alguém de fora ser capaz de enxergar melhor certas coisas.

Essas são, a meu ver, as habilidades que irão gerar em você um grande diferencial nesse mercado.

Com isso nas mãos, estudando e refletindo cada um desses pontos, iremos partir para a outra parte fundamental do processo:

O Expert!

19

Scene 21 (16m 12s)

Olá, pessoal! Vou explicar melhor sobre negociação com o expert, as obrigações de cada parte, os valores, contrato e tudo isso. Esse é um assunto relativamente extenso, porque envolve muitas variáveis, então vou tentar colocar aqui da forma mais prática possível, de maneira que o conteúdo também não fique tão longo para quem está lendo. Uma coisa importante foi o subtítulo: escolhendo um expert sem desespero Coloquei esse subtítulo porque considero que uma das grandes dificuldades e um dos maiores erros de quem está no início é a questão de escolher mal o expert para começar seus projetos de coprodução. Você começa a consumir conteúdo dos cursos que compra e percebe que tem muito ali para se executar. Está apressado para colocar tudo aquilo em prática e ter resultados, já que a gente também quer ganhar dinheiro aqui, e aí sai na loucura e pega o 21

Scene 22 (16m 47s)

primeiro expert que aparece, topa trabalhar de graqa, topa fazer qualquer coisa sem fazer uma curadoria boa desse profissional e sem se atentar que é justamente essa curadoria, A pessoa que domina c é ele, entäo ele é a pe vai gerar mais coni especialmente o téc curadoria, portanto, importante.

primeiro expert que aparece, topa trabalhar de graça, topa fazer qualquer coisa sem fazer uma curadoria boa desse profissional e sem se atentar que é justamente essa curadoria, esse processo que vai te dar resultados a longo prazo.

Não adianta pegar um expert que não tem um personagem atrativo, que não gosta de produzir conteúdo ou de se relacionar com a audiência. Não adianta pegar uma pessoa assim para trabalhar, por mais que ela já tenha uma audiência.

Uma pessoa que não tenhas esses requisitos vai te dar muito trabalho a longo prazo, porque são coisas fundamentais dentro de um processo de lançamento: produzir conteúdo, lidar com a audiência, cumprir prazos. E lançamento é um processo que você precisa seguir à risca para que funcione.

Então, se ali no meio do caminho teu expert decide que não gosta de produzir conteúdo ou de atender a audiência, você vai ficar na mão.

Não é uma coisa tão fácil de terceirizar. Como você vai produzir conteúdo para o expert? Não tem como fazer isso.

A pessoa que domina o assunto é ele, então ele é a pessoa que vai gerar mais conteúdo especialmente o técnico. A curadoria, portanto, é muito importante.

22

Scene 23 (17m 46s)

Observe se o expert tem personagem atrativo (falamos no Telegram sobre esse personagem atrativo, que é uma pessoa com uma comunicação quente ou fria, mas não morna).

Não é aquela pessoa cujo conteúdo não te causa nada, porque as pessoas não se conectam com o morno, aquela coisa que não é nem de um lado nem de outro.

As pessoas vão se conectar com quem tenha a comunicação

muito quente (como Ítalo Marsili, Lara Nesteruk, Ícaro de Carvalho) ou uma mais fria (Rodrigo Vinhas, Érico Rocha).

A comunicação deles não é ruim ou boa por ser quente ou fria. Cada um tem que se comunicar a seu modo.

O que faz muita diferença é que ele esteja num desses extremos (quente ou frio) e não aquela coisa tão morna, tão sem vida, a que o usuário chega, não se conecta com nada e sai.

23

Scene 24 (18m 31s)

Erra estå muito quem comeqando agora e näo gasta grande parte do seu tempo (80 ou 90%) fazendo essa curadoria de expert. relaciona bem e produzir conteüdl Se é uma pes domina mesmo sobre o qual se falar ou se elc

Erra muito quem está começando agora e não gasta grande parte do seu tempo (80 ou 90%) fazendo essa curadoria de expert.

A pessoa entra lá, vê 10 mil seguidores e já faz oferta de coprodução, querendo lançar invés de observar, começar um pequeno relacionamento com essa pessoa ou trocar uma ideia, ver como ela se relaciona com a audiência, como se comunica, se de fato aqueles seguidores são engajados.

São coisas que você observa através dos comentários nos posts, vídeos do IGTV e ferramentas como o Social Blade, que mede o engajamento.

Você tem que fazer essa curadoria, já que o trabalho de lançar um bom expert é o mesmo de lançar um ruim a diferença é o seu resultado.

Você vai ter o mesmo volume de trabalho, mas se lançar um bom vai ter resultado para compensar. Fique bastante tempo na curadoria.

Investigue:

Se é um expert que, além de ter essas características de personagem atrativa, se

relaciona bem e gosta de produzir conteúdo; Se é uma pessoa que domina mesmo o assunto sobre o qual se propõe a falar ou se ele é um papagaio e fica apenas repetindo o que escuta, girando entre 5

tópicozinhos , sem conseguir criar conteúdo original.

Isso é muito importante, porque nem todo mundo que se diz expert de fato o é.

O expert é uma pessoa que, de alguma forma, domina um assunto.

Pode ser um pequeno tópico, mas ele deve dominar esse tópico e saber de trás para a frente, saber explicar de formas diferentes e de uma forma que envolve quem está ouvindo. Esse é o verdadeiro expert.

Seu trabalho inicial como coprodutor não é sair atirando em todas as caixas de Instagram, mas fazer essa curadoria para que você chegue ao expert certo e faça uma oferta interessante pra ele coisa de que falaremos um pouquinho mais adiante.

24

Scene 25 (19m 48s)

Uma vez que tenha feito esse processo de curadoria, de encontrar aqueles experts que tém essas caracteristicas para fazer o projeto funcionar, vocé tem que fazer a abordagem inicial. Isso acontece porque existe uma falha grande nas abordagens. E sei disso porque também recebo abordagem alguma com frequéncia de pessoas oferecendo vårias coisas. A abordagem é, muitas vezes,

Uma vez que tenha feito esse processo de curadoria, de encontrar aqueles experts que têm essas características para fazer o projeto funcionar, você tem que fazer a abordagem inicial.

E é aqui que muita gente peca e me pergunta Como é que eu faço? Eu não consigo. Todo mundo me dá não Mandei para 3, 4, 10 e ninguém me

Isso acontece porque existe uma falha grande nas abordagens. E sei disso porque também recebo abordagem com alguma frequência de pessoas oferecendo várias coisas.

A abordagem é, muitas vezes,

com comunicação e tenho uma

.

O que isso quer dizer? A pessoa olha para isso e fala O quê? Eu não me importo, não estou nem

ainda mais se ela já

25

Scene 26 (20m 37s)

construiu uma audiéncia. Ela näo tem tempo para esse papo furado, genérico. A pessoa se apresenta, mas näo sabe nem explicar o que que faz do que comprar algo pessoa. Dessa forma voc desenvolvendo relacionamento, pensan

construiu uma audiência. Ela não tem tempo para esse papo furado, genérico.

A pessoa se apresenta, mas não sabe nem explicar o que que faz e, por não saber, explica de uma forma muito genérica, coloca ali qualquer bobeira porque viu alguém falando num vídeo ou noutro.

O expert lê e não está nem aí para isso.

Uma forma que eu acho muito mais fácil é ir se aproximando aos poucos da pessoa que passou na sua curadoria.

Primeiro consumir o conteúdo dessa pessoa, perceber nela as características que você procura, perceber o que é valor para ela (porque sempre há um pouco disso no nosso conteúdo), e aí começar um diálogo com ela, como uma pessoa normal.

Diga: olha, que legal! O seu

. Depois faz algum outro apontamento, depois vai ali no inbox conversar com a pessoa.

Muitas vezes é bom comprar algum produto que ela já tenha, porque isso de alguma forma te aproxima dessa pessoa. Não tem chave que abra mais as portas

do que comprar algo daquela pessoa.

Dessa forma você vai desenvolvendo esse relacionamento, pensando que o que está desenvolvendo é um relacionamento de sociedade para longo prazo.

Ninguém começa um relacionamento assim de uma hora pra outra, de supetão.

m comunicação, tenho uma proposta para você porque você está deixando dinheiro na me não funciona. A pessoa olha isso e pensa que você é mais um desocupado com promessas de dinheiro fácil. Não é assim.

Você tem que ir se apresentando aos poucos, mostrando sua presença aos poucos e mostrando que escutou a pessoa, que você consumiu o conteúdo dela e a conhecendo, consegue oferecer para ela um serviço de coprodução, um projeto de coprodução.

Em que pontos você terá que agregar? Naqueles que você observou, consumindo o conteúdo dela, que consegue melhorar, que pode gerar novos produtos (ou os primeiros produtos).

26

Scene 27 (21m 59s)

Garanto a vocés que, se fizerem essa curadoria, se comeqarem a desenvolver relacionamento sem esse tanta agressividade e promessa vazia, a tendéncia é que os experts se Eu entendi muito råpido era necessårio, entäo c produzir conteüdo de comunidades. Inclusive, até hoje — claro quu porque tenho menos ter

Garanto a vocês que, se fizerem essa curadoria, se começarem a desenvolver esse relacionamento sem tanta agressividade e promessa vazia, a tendência é que os experts se abram mais. Sei disso porque recebo muita abordagem de expert procurando lançador.

E nunca preciso ir atrás de expert. Eles vêm atrás de mim porque eu produzo conteúdo.

Quando digo isso, respondem que não gostam de Instagram, não gostam de aparecer.

Você não é obrigado a aparecer ou a produzir conteúdo, mas facilita. Digo porque nessas semanas já recebi 7 pedidos de coprodução. Se estivesse sem projetos para fazer, poderia aceitar qualquer um, escolher o que eu queria trabalhar.

Ao mesmo tempo, recebo mensagem todo dia de gente falando que não acha expert.

Expert tem. O que eles não veem em você é uma possibilidade de sucesso para o projeto deles porque não te conhecem, porque você não produz conteúdo, não aparece nos grupos, não se posiciona como um bom profissional na sua área.

Eu entendi muito rápido que isso era necessário, então comecei a produzir conteúdo dentro das comunidades. Inclusive, faço isso até hoje claro que menos porque tenho menos tempo, mas ainda faço.

Funciona tão bem e é tão básico que as pessoas até duvidam que funcione. É muito simples, é de graça, mas funciona muito bem.

Eu entrei em muitas comunidades. Investi uns 30 mil para estar em vários grupos diferentes depois que comecei a ter resultados (no começo comecei como todo mundo, 0 reais).

Então peguei esse dinheiro e fui investindo em estar nas comunidades que formaram minha audiência. Dessas comunidades, vieram alguns dos experts com os quais já trabalhei e trabalho hoje.

Tudo sem ficar no pé de ninguém, sem ficar insistindo ou tentando convencer pessoas com promessas vazias. Sempre foi uma conversa que começou naturalmente e negociamos a partir daí. Sem essa coisa hierárquica de chefia ou briga por posições.

Seu eu mostrasse minhas conversas com experts, vocês

27

Scene 28 (23m 25s)

Inte, diga stratégia Checklist, jå tem o Série de r colocar n um més ±senvolva rt a partir pessoa lento nos prestou : 6 em 7 algumas Yte. Se sem feito e depois ta contra 2rtamente edo. Fale dinheiro

veriam que é uma conversa muito natural, muito tranquila, sem pisar em ovos. É uma conversa de duas pessoas que perceberam que tinham valores em comum e por isso poderiam trabalhar juntas.

Não adianta trabalhar com um expert que não tem os mesmos valores que eu. Se eu não me sinto bem fazendo uma promessa X, mas ele se sente, fica prometendo mundos e fundos e eu não me sinto bem com isso. Uma parceria assim também não vai dar certo.

É por isso que essa curadoria sobre a qual eu falei anteriormente é muito importante e que essa abordagem inicial não seja tão forçada a ponto de convencer a pessoa no desespero por ganhar dinheiro. Você também fica desesperado e pode ser que lá na frente vocês invistam e vejam que não deu em nada.

Essa abordagem tem que se basear em construir um relacionamento, conversar com muita abertura, muita sinceridade.

Se for iniciante, diga que é iniciante e não invente títulos ou horas de trabalho que não aconteceram.

Diga que você é iniciante, diga que você já tem uma estratégia validada pra seguir (o Checklist, por exemplo). Diga que já tem o Trello montado, uma série de passos para conseguir colocar um lançamento no ar em um mês ou um mês e meio. Desenvolva a conversa com o expert a partir daí.

Acontece muito de a pessoa aumentar seu envolvimento nos lançamentos em que prestou serviços. Dizer que fez 6 em 7 quando só respondeu algumas mensagens de suporte. Se vendem como se tivessem feito coisas que não fizeram e depois isso certamente se volta contra elas.

Seja sincero e fale abertamente sobre dinheiro, sem medo. Fale se tem ou não algum dinheiro para investir.

28

Scene 29 (24m 36s)

Feita a abordagem inicial e o expert tendo aceitado a proposta, é hora de definir com ele quais são as obrigações de cada parte. As suas, as dele e as da equipe (se houver). Essa parte é muito pessoal e vocês têm que negociar.

Se o expert pode produzir o conteúdo, ficar atendendo a audiência e gosta disso, ótimo. Ele faz isso isso e você foca só na parte operacional do lançamento.

Você vai escrever copy, fazer campanha de tráfego, você vai preparar as páginas de vendas, automações de e-mail, o suporte aos compradores.

Perguntam:

Se você tem como pagar uma equipe, contrate. Se você não tem, aprenda a fazer. Eu fiz isso e sei que é muito possível fazer sozinho.

À medida que escala, você vai contratando.

29

Scene 30 (25m 16s)

Hoje faço tudo isso e o expert foca em produzir conteúdo e atender a audiência. De resto, eu me viro com o operacional.

Alinhamos as coisas, mas tento ao máximo não ficar levando problema para ele e resolver eu mesma. Só levo quando é uma questão mais decisiva do negócio, como investimento de tráfego, questão de copy, o que vender e para quem, quantos dias de carrinho, quais as estratégias e temas das lives. Isso a gente resolve juntos porque envolve a expertise dele, além do operacional.

Coisas pequenas como e-mail, plataforma etc. eu decido. Se fosse para ele se preocupar com isso, ele mesmo lançava, não precisaria de mim.

É interessante fazer a divisão no início e retomar a conversa caso se perceba que um dos lados está sobrecarregado. Não significa que vocês nunca mais vão falar sobre isso.

Tem que iniciar, ir testando e vendo como funciona, se ele está produzindo conteúdo no volume que vocês combinaram.

Se ele estiver tendo dificuldades, é importante pensar em como você pode ajudar. Assim como, se você estiver sobrecarregado,

pode pensar em como ele pode te ajudar em alguma coisa.

Por exemplo: tem lançamento aqui em que o expert escreve a copy, porque a comunicação dele é parte do produto. Ele vende essa comunicação, então é muito importante que a copy saia com a cara dele.

Eu dou um suporte, analiso junto, mas é ele quem escreve, principalmente a copy, porque é algo combinado desde o início, foi conversado.

Já houve dias em que ele esteve sobrecarregado e não conseguiu copy para e-mail, então fui lá e escrevi com base na escrita dele, sem criar confusão porque me sobrou alguma coisinha a mais.

A beleza do mercado é justamente a flexibilidade, sem ser processado por desvio de função, sem questões de assédio por ter mandado mensagem para o expert à meia-noite.

Você vai ter muita liberdade para trabalhar. Tendo sabedoria, você se aproveita disso muito bem e, na hora de definir essas obrigações e prioridades, assume essa postura de liderança, de gestão.

Você não pode assumir a responsabilidade de cuidar do

30

Scene 31 (26m 40s)

entäo sei que aquilo te drena uma energia inimaginåvel. Quem näo produz conteüdo näo imagina como é cansativo estar ali repetindo a mesma coisa, respondendo mesmas atendendo as perguntas, mesmas dificuldades e, muitas vezes, das mesmas pessoas. para vocé, use sua cat contexto e considere qi contexto é diferente do Use também o conh que vocé tem do negociar bem desde näo se sinta péssimo com medo de renegocia for necessårio, nä

operacional de um lançamento e na semana do lançamento dizer que não está dando conta, soltar as coisas para o expert.

Se assumiu suas responsabilidades, se vire para dar conta: durma menos, não durma, trabalhe nos fins de semana, vire a noite.

Faça suas obrigações para que o expert se sinta seguro para só produzir o conteúdo e atender a audiência.

estou dizendo que é pouco. É muito.

Eu também atendo pessoas no Instagram e produzo conteúdo, então sei que aquilo te drena uma energia inimaginável. Quem não produz conteúdo não imagina como é cansativo estar ali repetindo a mesma coisa, respondendo as mesmas perguntas, atendendo as mesmas dificuldades e, muitas vezes, das mesmas pessoas.

Tem dias em que as pessoas não entendem, estão de mau humor ou ficam nervosas com algo que você fala.

O expert não tem menos trabalho que o coprodutor. As duas coisas dão trabalho e só

são divididas para que não fique impossível.

Negociar essas obrigações é uma coisa que você tem que fazer no início, mas com flexibilidade para realinharem isso toda vez que for necessário.

Pode ser uma reunião a cada 15 dias, semanal ou mensal, mas é importante que exista isso para que você vá passando para o expert o que está acontecendo e ele vá dando as impressões dele para que vocês cheguem num lugar comum com relação a isso.

Importante: não tentem simplesmente seguir à risca o que eu falo! Veja o que funciona para você, use sua cabeça, seu contexto e considere que o meu contexto é diferente do seu.

Use também o conhecimento que você tem do expert para negociar bem desde o início e não se sinta péssimo ou fique com medo de renegociar quando for necessário, não tem problema algum.

Também é importante passar pela negociação dos valores. Quem pagará o que e quem ficará com quanto são perguntas que também recebo com muita frequência e noto que as pessoas querem algo como uma

31

Scene 32 (28m 7s)

receita para coisas que säo completamente variåveis. Näo de ficar gosto determinando, colocando regras, jå que säo coisas variåveis. Hoje vou fazer dentro do pr que o expert jå tem pro Näo fique tentando muitas regras em rela# porque cada um de vc

quantos proautos sao, se o expert jå tem produto pronto. Hoje trabalho assim: quando entrei no meu ültimo projeto com a audiéncia muito grande, eu negociei 20%. Quando entrei no outro projeto, que a audiéncia näo era täo grande, negociei 50%. pensar: "dentro desse que tenho para oferece que é justo que eu recel questäo de ser justo importante. Jå aconteceu — e eu vi is de perto — de o co pegar uma fatia muitc de um expert com audii

Sobre custo: em um projeto, meu custo é 50% e eu emito 50% das notas; no outro, meu custo é de 20% e eu näo emito notas, Sö o expert. Entäo, vocé vai vendo o tanto que muda de um pra outro, porque depende muito do contexto do momento, do que eu perceber que estava m jå que ele construiu tuc sozinho. O expert comeqa a se ir com o seu custo de projeto dele e comeqa como muito pesado negocie isso com muita

receita para coisas que são completamente variáveis.

Não gosto de ficar determinando, colocando regras, já que são coisas variáveis. Hoje você encontra, no mercado, coproduções que vão desde 5% até 80% para o coprodutor. Não existe porcentagem fixa.

Não tem como eu dar uma receita, porque têm que ser considerados fatores como: a experiência do coprodutor, a audiência do expert, quem vai investir no quê, quem pagará o quê, qual a previsão de faturamento do projeto, se é um projeto que vai escalar muito, quantos produtos são, se o expert já tem produto pronto.

Hoje trabalho assim: quando entrei no meu último projeto com a audiência muito grande, eu negociei 20%. Quando entrei no outro projeto, que a audiência não era tão grande, negociei 50%.

Sobre custo: em um projeto, meu custo é 50% e eu emito 50% das notas; no outro, meu custo é de 20% e eu não emito notas, só o expert. Então, você vai vendo o tanto que muda de um pra outro, porque depende muito do contexto do momento, do que eu

vou fazer dentro do projeto, do que o expert já tem pronto.

Não fique tentando seguir muitas regras em relação a isso, porque cada um de vocês está num momento tem gente que já fez lançamentos e tem gente que nunca fez. Sei que há pessoas que tiveram resultados consistentes e outras com pequenos resultados. Sei que existe gente que está construindo audiência do zero, gente que está entrando, mas não pode investir e o custo ficará por conta do expert.

São muitos cenários que exigem a capacidade estratégica de pensar: que tenho para oferecer hoje, o que é justo que eu r Essa questão de ser justo é muito importante.

Já aconteceu e eu vi isso muito de perto de o coprodutor pegar uma fatia muito grande, de um expert com audiência, e o expert olhar para a situação e perceber que estava muito alto, já que ele construiu tudo aquilo sozinho.

O expert começa a se incomodar com o seu custo dentro do projeto dele e começa a ver isso como muito pesado. Então, negocie isso com muita justiça.

32

Scene 33 (30m 6s)

gannanao multo mas rompenao com esse contrato. Dizem: "Ah, mas tem o contrato e bla bla bla", mas estamos no Brasil. Se a pessoa näo quiser seguir o contrato, näo seguirå. Até o processo correr, essa pessoa jå fez 6 ou 7 digitos sozinha ou com outra pessoa. na experiencia, na aual que vocés väo investir c projeto e estejam al negociaqäo. Näo é pon negociou um valor no que ele tem que ser o vida inteira. Se vocé vir que o neg crescendo voci

O expert, que estå diante da audiéncia, como a pessoa com o maior ativo, que é a audiéncia, acaba tendo mais poder dentro dessa negociaqäo. Vocé precisa entender isso, mas näo para se portar como um escravo dele ou ficar ali encolhido num canto morrendo responsabilidades, poc uma renegociaqäo p fique mais justo, expl absorveu muitas cois fazendo muitos process sua presenqa tem aji projeto a crescer.

Se vocês estão começando juntos, a produzir do 0, não vejo nada mais justo que 50% / 50%. Agora, se um tem mais que o outro para oferecer, veja uma porcentagem que fique justa nesse sentido.

Existem alguns modelos de agência (eu particularmente não gosto desse modelo) em que ela fica com 70% / 80% / 85% e o expert com o restante; aí eu vejo expert trabalhando não como um parceiro, mas como um funcionário da agência.

Vejo também que não demorará muito pra que ele perceba que é um funcionário e poderia estar ganhando muito mais rompendo com esse contrato.

Dizem: e , mas estamos no Brasil. Se a pessoa não quiser seguir o contrato, não seguirá. Até o processo correr, essa pessoa já fez 6 ou 7 dígitos sozinha ou com outra pessoa.

O expert, que está diante da audiência, como a pessoa com o maior ativo, que é a audiência, acaba tendo mais poder dentro dessa negociação.

Você precisa entender isso, mas não para se portar como um escravo dele ou ficar ali encolhido num canto morrendo

de medo de que ele te dispense, mas pra que você perceba que tem muito valor nessa audiência que ele construiu e que a sua posição dentro do projeto tem que agregar muito, e não tirar dele.

Você constantemente tem que criar essa sensação de que ele está ganhando muito com a sua presença ali, e não perdendo. Tudo isso a partir de um trabalho muito bem feito, que passa também por uma negociação justa.

Então, varia muito. Conversem com os experts de vocês, proponham os valores com base na experiência, na audiência, no que vocês vão investir dentro do projeto e estejam abertos à negociação. Não é porque você negociou um valor no começo que ele tem que ser o mesmo a vida inteira.

Se você vir que o negócio está crescendo e você está assumindo cada vez mais responsabilidades, pode pedir uma renegociação para que fique mais justo, explicar que absorveu muitas coisas, está fazendo muitos processos e que sua presença tem ajudado o projeto a crescer.

33

Scene 34 (31m 54s)

Äo DE 'ORES )dos os o posso {o que jå chegada,

ano. O que cresceu também tem parte minha. Se eu atuei dentro daquela estratégia, entäo também tem muito mérito meu ali. É Claro que quando entro num projeto de coproduqäo e tenho ser parceira do expert neg6cio, näo num pr outro. Quero porcentagem em produtos que a g comercializar e isso é importante ponto negociaqäo, porque acontece de vocé eni

Gosto muito de uma coisa que trouxe da CLT: eu registro o ponto inicial em que o projeto está (quantos seguidores tinha, quanto vendeu, quanto lucrou) e como está depois de 3 meses, 1 ano.

O que cresceu também tem parte minha. Se eu atuei dentro daquela estratégia, então também tem muito mérito meu ali.

É claro que quando entro num projeto de coprodução e tenho

porcentagem em todos os produtos criados, não posso fazer essa separação do que já existia antes da minha chegada, de ficar sem porcentagem em determinados produtos. Quero ser parceira do expert em seu negócio, não num projeto ou outro.

Quero porcentagem em todos os produtos que a gente vá comercializar e isso é um outro ponto importante de negociação, porque às vezes acontece de você entrar e o

NEGOCIACAO D

34

Scene 35 (32m 46s)

expert não ter um produto de escala (ter apenas uma mentoria, por exemplo) e querer separar isso do negócio. Não é justo.

Isso porque o que vem para ele a partir do trabalho que vocês começaram a desenvolver é do time, é do negócio, já que você está tendo outros trabalhos também relacionados a isso.

Não é uma regra, então conversem sobre isso com seus experts.

Scene 36 (33m 12s)

O DILEi

WA DO rRATO contrato é muito 2m parar Ia de ficar

Aqui entra muito essa questäo do contrato, e eu jå me envolvi em algumas polém icas com relaqäo a isso porque trabalho muito sem contrato. Näo vou dizer que seguir, porque isso pessoal e vocés deve com essa mania estüpid indo atrås das pesso modelo de contrato.

negociaqäo de um primeiro Ianqamento, sentir a pessoa, sentir a si mesmo, sentir o processo, sentir a audiéncia, ver o que vai funcionar e o que näo vai e sé depois disso fazer um contrato. Ou vocé monta um conl com um advogado (e I cheio de advogado pechincha pra fazer I entäo vocé faz um langamento sem contr sem encher a paciél pessoas pedindo mo

Aqui entra muito essa questão do contrato, e eu já me envolvi em algumas polêmicas com relação a isso porque trabalho muito sem contrato.

Eu acredito muito nessa negociação de um primeiro lançamento, sentir a pessoa, sentir a si mesmo, sentir o processo, sentir a audiência, ver o que vai funcionar e o que não vai e só depois disso fazer um contrato.

Não vou dizer que contrato seguir, porque isso é muito pessoal e vocês devem parar com essa mania estúpida de ficar indo atrás das pessoas pedir modelo de contrato.

Ou você monta um contrato seu, com um advogado (e hoje está cheio de advogado cobrando pechincha pra fazer isso), ou então você faz um primeiro lançamento sem contrato, mas sem encher a paciência das pessoas pedindo modelo de

36

Scene 37 (34m 11s)

contrato. Isso é uma coisa muito pessoal. Se vocé negociou uma coisa com o expert, como é que o contrato da minha negociaqäo vai te pago 50% da ferrame eu tenho 20%, pago 2( Isso varia conforme a ne de cada um de voca regra e vocés precisam

Näo fique com essa dependéncia dos outros pra todos os passos dos seus projetos, especialmente os mais delicados. Uma pessoa que tem um trabalho sério também näo vai ficar distribuindo modelinho de contrato com expert para Pessoalmente, näo que do expert. Se acabou c fique com a lista e eu frente, porque quem mais de perto relacionamento foi ele. vou ficar fazendo com as pessoas que entraral me conhecem?

nta, e se 2gociaqäo . Näo é negociar ponto. a lista ) projeto, Sigo em construiu esse O que eu a lista se m Iå nem entrego a ados para iOS para ra video, ha, para tudo isso 2itamente amanhä

cada uma das partes, bens adquiridos. Parece até coisa de casamento, mas, quando vocé estå trabalhando num Ianqamento e construiu listas, vocé adquiriu para a empresa, o projeto, o neg6cio, um ativo muito importante. Portanto, tem que cada expert, diretöri imagem, diretörio par diretörio para planill controle de custos, e t fica separado e perfe organizado por projeto. Fago isso porque se acabar o projeto com eu entreao tudo e ele

ficar claro desde o quem é esse ativo. Isso tem que ser inicio de negociado desde o inicio, porque vocé também vai negociar quem vai pagar as ferramentas. De e-mail, por exemplo, pago proporcionalmente; entäo se tenho 50% na coproduqäo, eu quem ele quiser. Eu ja amarrar expert a mim, ja obrigar alguém a comigo sem que a queira. Ele tem que ficar enqua Se quer sair, näo passos para dificultar is

contrato. Isso é uma coisa muito pessoal.

Se você negociou uma coisa com o expert, como é que o contrato da minha negociação vai te atender?

Não fique com essa dependência dos outros pra todos os passos dos seus projetos, especialmente os mais delicados.

Uma pessoa que tem um trabalho sério também não vai ficar distribuindo modelinho de contrato com expert para ninguém, porque entende que essa negociação é muito particular. Seja de valores, seja de entregáveis, obrigações de cada uma das partes, bens adquiridos.

Parece até coisa de casamento, mas, quando você está trabalhando num lançamento e construiu listas, você adquiriu para a empresa, o projeto, o negócio, um ativo muito importante. Portanto, tem que ficar claro desde o início de quem é esse ativo.

Isso tem que ser negociado desde o início, porque você também vai negociar quem vai pagar as ferramentas. De e-mail, por exemplo, pago proporcionalmente; então se tenho 50% na coprodução, eu

pago 50% da ferramenta, e se eu tenho 20%, pago 20%.

Isso varia conforme a negociação de cada um de vocês. Não é regra e vocês precisam negociar por conta própria esse ponto.

Pessoalmente, não quero a lista do expert. Se acabou o projeto, fique com a lista e eu sigo em frente, porque quem construiu mais de perto esse relacionamento foi ele. O que eu vou ficar fazendo com a lista se as pessoas que entraram lá nem me conhecem?

Acabou o lançamento, entrego a lista do expert.

Eu crio diretórios separados para cada expert, diretórios para imagem, diretório para vídeo, diretório para planilha, para controle de custos, e tudo isso fica separado e perfeitamente organizado por projeto.

Faço isso porque se amanhã acabar o projeto com o expert, eu entrego tudo e ele toca com quem ele quiser. Eu jamais vou amarrar expert a mim, jamais vou obrigar alguém a trabalhar comigo sem que a pessoa queira.

Ele tem que ficar enquanto quer. Se quer sair, não vou criar passos para dificultar isso. Tudo

37

Scene 38 (36m 20s)

de renda, além dos meus pröprios produtos pessoais, näo fico täo preocupada em perder

bem, segue em frente, há outras pessoas, virão outros projetos. Essa é a minha visão, mas cada um precisa analisar o que faz sentido pra si.

Se você só tem um expert, se você depende da renda desse projeto pra viver e perde esse expert, você vai sim ter um prejuízo muito grande, então veja as cláusulas que precisa colocar pra que você não se prejudique.

Como hoje eu tenho mais de um projeto, tenho mais de uma fonte de renda, além dos meus próprios produtos pessoais, não fico tão preocupada em perder expert. Porque eu sei que, se eu abrir vagas para novos, aparecerão muitas pessoas. Então por isso você tem que analisar com muita calma o que funciona para você e para o seu contexto.

Scene 40 (37m 23s)

A mesma coisa vale para decidir quem vai pagar o qué: tudo deve ser negociado. Como eu disse: no projeto que estou, eu sempre pago, porque ActiveCampaign, um M uma hospedagem e pro Tive que comeqar a mc muito a conta. Pagava antes de vencer para c

projeto, porque eu quero ser a pessoa que também coloca dinheiro ali porque confia naquele projeto, porque confia no conteüdo daquele expert e eu quero que ele saiba disso, e, pra mim, näo tem forma mais clara de mostrar isso do que colocando meu dinheiro ali. outros bancos, os banc me dando e hoje jå es tranquila em relaqäo a crédito, com limites para fazer compr ferramentas. E muito dificil vocé estal de um Ianqamento e pec exoert oaaar uma fatur

ailChimp, nto. vimentar a fatura limite ir indo em os foram tou bem artäo de ais altos as de r no meio dir para o a porque locé näo negöcio, do close que eu Ito duas :ontecer. coisa e 2nte e eu ra ficar ir R$ 40

A mesma coisa vale para decidir quem vai pagar o quê: tudo deve ser negociado.

Como eu disse: no projeto que estou, eu sempre pago, porque eu quero me sentir parte do projeto, porque eu quero ser a pessoa que também coloca dinheiro ali porque confia naquele projeto, porque confia no conteúdo daquele expert e eu quero que ele saiba disso, e, pra mim, não tem forma mais clara de mostrar isso do que colocando meu dinheiro ali. Então eu invisto, sim.

Inclusive, uma coisa que ninguém fala e vou ser bem sincera com vocês agora: é muito difícil você começar sem nada. Sem dinheiro, sem cartão, sem nada de nada. Não diria de jeito nenhum que é impossível, mas é mais difícil.

Um exemplo: eu não usava cartão de crédito, então, quando comecei nesse mercado mesmo quando eu nem tinha projeto a primeira coisa que eu vi foi que o Facebook pedia um cartão.

Então percebi que precisava de um, me virei, corri, fui atrás, e aí me deram um cartão com mil reais de limite e que não dava para nada. Pagava um

ActiveCampaign, um MailChimp, uma hospedagem e pronto.

Tive que começar a movimentar muito a conta. Pagava a fatura antes de vencer para o limite ir aumentando, fui pedindo em outros bancos, os bancos foram me dando e hoje já estou bem tranquila em relação a cartão de crédito, com limites mais altos para fazer compras de ferramentas.

É muito difícil você estar no meio de um lançamento e pedir para o expert pagar uma fatura porque você não tem cartão. Você não consegue pagar um negócio, desenrolar.

Citei para o pessoal do close friends uma ocasião em que eu entrei em um lançamento duas semanas antes dele acontecer. Tinha que fazer muita coisa e tudo muito apressadamente e eu não tinha tempo para ficar validando: 40 da hospedagem, R$ 150 da Memb . Eu meti o meu cartão lá e fui pagando rapidamente ferramenta, mão de obra, serviço, , anúncio. Fui pagando tudo, registrando na minha planilha e, no final, eu fiz o acerto com o expert. Ele me transferiu e pronto. Não teve essa coisa de criar amorosidade

40

Scene 41 (39m 19s)

Eu näo disse que näo pode ou que näo vai dar certo. Disse que dificulta um pouco mais. Entäo comece a ir atrås das suas opqöes para ter um cartäo, um crédito positivo, näo ter restriqäo no SPC. Näo vejo as pessoas falando disso. Säo minücias, mas muito um monte. Também recomendo se pequeno caixa, porq caixa (que a gente pod de capital de langamento) vai te ajuc parte de ferramenta. As vezes vocé precisæ free/a uraente ora modi'

aber que xistem coisa um que isso i precisar Ito gastar faca um I ue esse e chamar Jiro do nessa a de um ificar uma ma arte e pra pagar mais querem abrir o seu megar a äo é. Tem dia a dia isa saber

gastar 10, 12, 15 mil no cartäo". Isso te då velocidade. Imagina se eu tivesse que atrapalhar todo o remarketing de um langamento por näo ter cartäo de crédito e o boleto näo compensar. desde o inicio. Pergun pode investir, o quan investir. Quando comeqou a pan Coronavirus, eståvamos preparant langamento, perguntei muita abert com

no processo porque você não tinha grana ou não tinha cartão.

Agora as pessoas que não têm cartão já vão pensar que não podem fazer o trabalho por isso.

Eu não disse que não pode ou que não vai dar certo. Disse que dificulta um pouco mais. Então comece a ir atrás das suas opções para ter um cartão, um crédito positivo, não ter restrição no SPC.

Não vejo as pessoas falando disso. São minúcias, mas muito presentes no dia a dia. Se tiver restrição, pague ou faça uma negociação. Veja o que você consegue. Um crédito de uns 2 mil reais (nada também muito absurdo) vai te ajudar muito.

Eu lembro que a gente estava no meio de um lançamento, e um boleto que devia ser compensado estava demorando. Eu disse para a pessoa do

Tá aqui meu cartão. Bota lá que a gente consegue

Isso te dá velocidade.

Imagina se eu tivesse que atrapalhar todo o remarketing de um lançamento por não ter cartão de crédito e o boleto não compensar.

É muito importante saber que essas necessidades existem ferramenta em dólar, coisa um pouco mais cara mas que isso é gradual. Você não vai precisar já no primeiro lançamento gastar um monte.

Também recomendo se faça um pequeno caixa, porque esse caixa (que a gente pode chamar de capital de giro do lançamento) vai te ajudar nessa parte de ferramenta.

Às vezes você precisa de um

urgente pra modificar uma pasta, uma página ou uma arte e tem 200 ou 300 reais pra pagar essa pessoa e te dar mais velocidade.

Sinto que as pessoas querem que vender seja só abrir o Hotmart no seu computadorzinho e começar a lançar os outros, mas não é. Tem esses pormenores do dia a dia os quais a gente precisa saber que vão acontecer, então converse também com o expert desde o início. Pergunte se ele pode investir, o quanto pode investir.

Quando começou a pandemia do Coronavírus, enquanto estávamos preparando um lançamento, perguntei ao expert com muita abertura e

41

Scene 42 (41m 8s)

sinceridade (porque ele näo é uma crianqa e também näo é o papa) como estava a situaqäo financeira dele. Se o Ianqamento o prejudicaria, se ele tinha caixa de emergéncia, se precisaria do problemas futuros. Me vocés näo continuem pelo menos saem da re uma forma muito amist( Eu sai recentemente

dinheiro com urgéncia. Tudo falado com muita naturalidade, porque é preciso entender o momento do expert e ver o que se pode aproveitar de cada um dentro do projeto. Entäo, conversem muito sobre essa questäo de valores e sejam iustos. Se säo iniciantes. aceitem tudo, estive totalm disposiqäo, fui reco pelo expert, tudo tranq é porque uma relæ trabalho näo deu certo precisa virar inimigo dé ou deneg ri-la. Sejan maduros quanto a iss dando certo, que cada

smo que juntos, elaqäo de osa. de um entreguei lente å mendada luilo. Näo aqäo de que vocé a pessoa, mu ito o e, näo um siga pode le eu näo que ficar que meu is de uma tiver um isso näo :essidade, de entäo é eoende

momento em que vocé se encontra e aceite ter um pouco com abertura de menos renegociar medida que aquilo cresqa. Arrume um cartäo de crédito — mesmo com limite pequeno — para te ajudar com ferramentas. Tente montar um Deaueno caixa tap que voce tem seguindo. Considere momento hoje é ter mai fonte de renda. Se eu problema num projeto, vai me fazer passar nec porque tenho a oportur estar em outros, diferente de quem daquilo para sua renda

sinceridade (porque ele não é uma criança e também não é o papa) como estava a situação financeira dele. Se o lançamento o prejudicaria, se ele tinha caixa de emergência, se precisaria do dinheiro com urgência.

Tudo falado com muita naturalidade, porque é preciso entender o momento do expert e ver o que se pode aproveitar de cada um dentro do projeto.

Então, conversem muito sobre essa questão de valores e sejam justos. Se são iniciantes, aceitem um pouco menos. Não queiram chegar exigindo.

Seja honesto em relação ao momento em que você se encontra e aceite ter um pouco menos com abertura de renegociar à medida que aquilo cresça.

Arrume um cartão de crédito mesmo com limite pequeno para te ajudar com ferramentas.

Tente montar um pequeno caixa para o fluxo ou, à medida que for tendo resultados, seja muito claro quanto a quem vai ficar com os ativos depois de um contrato quebrado. Preveja como será se não der certo.

Conversando de antemão, você reduz as chances de ter

problemas futuros. Mesmo que vocês não continuem juntos, pelo menos saem da relação de uma forma muito amistosa.

Eu saí recentemente de um projeto e foi assim: entreguei tudo, estive totalmente à disposição, fui recomendada pelo expert, tudo tranquilo. Não é porque uma relação de trabalho não deu certo que você precisa virar inimigo da pessoa, ou denegri-la. Sejam muito maduros quanto a isso e, não dando certo, que cada um siga seu rumo.

Sobre contrato: se você pode fazer, faça. Não é porque eu não faço que você tem que ficar seguindo. Considere que meu momento hoje é ter mais de uma fonte de renda. Se eu tiver um problema num projeto, isso não vai me fazer passar necessidade, porque tenho a oportunidade de estar em outros, então é diferente de quem depende daquilo para sua renda principal ou tem filhos, por exemplo.

Frequentem grupos como o do O Novo Mercado, Estrategistas Digitais, Comunidade da Camila Viriato. Lá tem sempre um advogado para quem vocês podem pagar 100, 200, 300 reais e fazer um contrato pra se resguardar, ter segurança e já

42

Scene 43 (43m 14s)

deixar claro no contrato as suas obrigaqöes, as obrigaqöes do expert, quem fica com os ativos, qual a % vocés väo receber, quem vai pagar os impostos, etc.

deixar claro no contrato as suas obrigações, as obrigações do expert, quem fica com os ativos, qual a % vocês vão receber, quem vai pagar os impostos, etc.

Existe também, à medida que se escala os projetos, o modelo em que você abre uma empresa com o expert.

Eu não trabalho assim; no futuro, quem sabe. Por ora, sou coprodutora. Lá dentro da Hotmart, o produto fica no nome do expert e como coprodutora recebo minha porcentagem e emito uma nota para a empresa do expert.

No futuro, à medida que crescer, pensamos em abrir uma empresa juntos, até para diminuir essa questão de impostos, mas acredito que, para quem está começando, esse modelo é o ideal e vai funcionar muito bem.

Scene 44 (43m 59s)

Eu pincelei nesses tópicos algumas das coisas que considero mais importantes dentro do trabalho entre coprodutor e expert, mas sempre ficam alguns , algumas dúvidas. Quem deve fazer o cronograma Faça você com seu expert, os dois. Sentem-se e pensem sobre as dores da persona, a criação de novos produtos, quais são os produtos, que tópicos terão. Em resumo, conversem muito. Vocês são uma equipe. Vocês estão construindo um negócio juntos. Não é uma coisa que deve ser encarada como um emprego, como se tivesse que levar para o chefe só no final do mês. Conversem o tempo todo para entender o próximo passo, o que dá pra melhorar ou corrigir, o que o expert está sentindo da audiência e pode te passar pra você melhorar as , por exemplo. O que você percebeu analisando o perfil de concorrentes ou nos seus 44

Scene 45 (44m 34s)

estudos de estratégia. O que aprendeu ali e agora vocés väo implementar juntos. É muita conversa, um relacionamento mesmo que vocé Eu parto muito da idei; näo gosto de levar para o expert, apena afetar de fato o que fazendo no momento. S me viro o måximo poss

a de que problema s se for ele estå näo, eu 3ivel para rar cada 2ssos. falei monto o :äo, tenho le paguei liretörios, métricas, te, tenho nos meus dando ert essa Iho mais trabalhe o. Paguei e, dentro negöcio, o para

consumindo conteüdo de outros estrategistas mais referenciados que vocé. Ver algo e dizer "caramba, isso aqui eu posso aplicar no meu projeto com meu expert". Sentar, anotar, estudar, conversar com ele, trazer soluqöes. assim que eu funciono eu quero ter para o e ambiente cada vez mel que ele fique focal produzir o conteüdo d se relacionar com a Também näo fico ali uma conta de päo par Se eu vejo uma ferram

estudos de estratégia. O que aprendeu ali e agora vocês vão implementar juntos.

É muita conversa, um relacionamento mesmo que você tem que desenvolver com ele, de modo que vocês se comportem de fato como sócios que estão construindo um negócio, não é como se você tivesse a obrigação de montar a estratégia.

Se é você quem monta a persona, você que monta conteúdo, você que monta tudo e o expert só vai seguindo igual um robô, não funciona.

Ou então você larga tudo na mão do expert e fica lá só fazendo uma paginazinha de venda e uma campanha de tráfego. Não funciona assim. Vocês precisam conversar o tempo todo.

Propor produtos, bônus, estudos de concorrentes, , , cursos a fazer. Você precisa se desenvolver, estudando, consumindo conteúdo de outros estrategistas mais referenciados que você.

aqui eu posso aplicar no meu

. Sentar, anotar, estudar, conversar com ele, trazer soluções.

Eu parto muito da ideia de que não gosto de levar problema para o expert, apenas se for afetar de fato o que ele está fazendo no momento. Se não, eu me viro o máximo possível para resolver, tento melhorar cada vez mais os meus processos.

Uma coisa que falei recentemente é que eu monto o meu setup de coprodução, tenho minhas ferramentas, que paguei sozinha, tenho meus diretórios, tenho ferramenta de métricas, ferramentas de suporte, tenho ferramenta de vídeo.

Paguei por tudo e uso nos meus múltiplos projetos, dando também para o expert essa estrutura um pouquinho mais completa para que ele trabalhe tranquilo lá no conteúdo. Paguei porque eu quis. Porque, dentro do meu modelo de negócio, funciona.

Não estou dizendo para pagarem com um dinheiro que não têm. Estou dizendo que é assim que eu funciono, porque eu quero ter para o expert um ambiente cada vez melhor, para que ele fique focando em produzir o conteúdo dele e em se relacionar com a audiência. Também não fico ali fazendo uma conta de pão para cobrar. Se eu vejo uma ferramenta que

45

Scene 46 (46m 23s)

Ticar aumentanao e cnanao mais problemas. mentalidade Também de melhoria continua dos processos do seu Ianqamento, de melhoria continua da produqäo de conteüdo, de melhoria continua do relacionamento, de melhoria continua dos pröprios langamentos, para vocé ir

vai me ajudar nos meus orçamentos, eu compro.

Não precisa ficar pedindo ao expert sempre uma coisa ou outra, com mesquinharia. Eu acho que a gente tem que se desenvolver, até porque o mercado dá para a gente essa estupenda possibilidade de relacionamentos mais abertos, mais flexíveis, em que você pode trabalhar sem aquele apelo de bater ponto, gente te cobrando, avaliando, de você ter que fazer política ali dentro do trabalho.

Então tragam para vocês também essa mentalidade de resolver problemas ao invés de ficar aumentando e criando mais problemas. Também a mentalidade de melhoria contínua dos processos do seu lançamento, de melhoria contínua da produção de conteúdo, de melhoria contínua do relacionamento, de melhoria contínua dos próprios lançamentos, para você ir melhorando de um para o outro.

Isso também considero fundamental para que você se dê muito bem como e seja referenciado no meio como coprodutor e assim nunca te faltem projetos.

Scene 47 (47m 14s)

Finalizando: eu falei, na lição anterior, sobre a importância do foco, e vejo que muita gente está começando e comete o erro de pegar 4 ou 5 experts e fica enlouquecendo, tentando dar vasão. Recomendo que você comece com um só e faça tudo muito bem. Depois do retorno, pegue mais um. Dois experts é um bom número, porque se você for fazer todos os processos como devem ser feitos, esses dois vão te tomar um tempo gigantesco. A não ser que você tenha uma grande equipe, você vai fazer um trabalho meia-boca se pegar mais que isso. Uma outra coisa fundamental: não pare de estudar nunca. Às vezes tenho a impressão de que o mercado de marketing se atualiza a cada hora, então não pare de estudar nunca. Escolha (na próxima lição a gente vai falar sobre isso) entre 47

Scene 48 (47m 49s)

copy, tráfego, automação e gerência de projeto. Escolha e masterize para fazer muito bem.

Falaremos mais sobre isso na próxima lição.

Scene 49 (48m 9s)

Vamos dar andamento à nossa terceira lição. Eu falava sobre a questão de terceirização porque tenho recebido muitas dúvidas sobre: o que terceirizar, como é composta a equipe, como lançar sendo coprodutor quando você ainda não domina todo o processo ou quando a conta é um pouco maior e você precisa de ajuda para conseguir produzir, gerenciar esse lançamento. Uma coisa que vocês precisam pensar é o seguinte: no começo, quanto menor, quanto mais enxuto for o seu custo, melhor. Você precisa determinar no que você vai atuar nesse lançamento. Será que você pode fazer a copy? Será que você pode fazer a arte? Será que você pode fazer a página? Será que você pode fazer o tráfego? Defina primeiro o que você vai fazer dentro do lançamento e, a partir daí, defina o que você vai contratar. Eu gosto de contratar primeiro o suporte, porque te desonera 49

Scene 50 (48m 43s)

de copy. expert e tråfego atividade faz mais neg6cio escrita, montar do que /0Cé estå dinheiro 2nte. Eu n6ria de .balhando ido R$ menos eu näo agava os Irsos e os a mäe. •ana para .balharem tudo que

muito. Você recebe muitas perguntas nos e-mails de suporte quando lança um produto, então, ter uma pessoa que te desonera de ficar respondendo tudo isso e fazendo esse operacional vai ajudar muito. Recomendo muito, inclusive para os meus mentorados, que contratem e treinem um bom suporte para atender bem a sua audiência. E quando eu falo sua audiência, estou falando também da audiência do expert.

Também contrato e é fundamental: edição de vídeo. Principalmente se o expert vai produzir conteúdo em vídeo.

Como é um trabalho muito mecânico e repetitivo, não vale a pena você ficar tanto tempo fazendo isso. Contrate um editor de vídeo para ajudar na produção de microconteúdos para as redes sociais.

Depois vem o designer: a pessoa que faz criativos, cria os posts para as redes sociais, páginas de vendas. Eles também são pessoas que eu terceirizo dentro dos meus projetos.

Já temos hoje: o suporte, o designer, o editor de vídeo e também o tráfego.

Fico mais com a parte de copy. Faço isso junto com o expert e terceirizo o tráfego.

Faço isso porque tráfego também é uma atividade mecânica e acredito que faz mais sentido para o meu negócio focar mais energia na escrita, montar oferta, montar automação em e-mails, do que ficar fazendo tráfego.

É claro que, quando você está começando não tem dinheiro para toda essa gente. Eu também não tinha.

Vou refrescar a memória de vocês: comecei trabalhando como CLT, ganhando R$ 4.500,00 mais ou menos (juntando benefícios) e eu não tinha grana porque pagava os meus estudos, meus cursos e os custos da casa da minha mãe.

Como eu não tinha grana para pagar pessoas para trabalharem para mim, fui fazendo tudo que estava ao meu alcance. Se tinha que editar um vídeo, eu editava; se tinha que fazer uma arte, eu fazia; se tinha que fazer a página, eu me virava, dava um jeito, e assim fiz os primeiros lançamentos, os primeiros projetos, me virando no que dava e pagando aquilo que eu podia pagar.

50