PowerPoint Presentation

Published on
Scene 1 (0s)

Desenvolvimento, Inovação e Tendências em Cosméticos

Tema da Palestra: Tecnologias de Fórmulas Capilares Voltadas para os Diferentes Tipos de Cabelos

Scene 2 (4m 2s)

F ORMAÇÃO ACADÊMICA:  ➜ Químico ➜ Cosmetólogo  ➜ Engenheiro de Produção EXPERIÊNCIA  PROFISSIONAL: ➜ 10 anos de experiência na área química. Desenvolvimento das linhas de cosméticos (BELLADONNA, GOLD HAIR, MARIA ESCANDALOSA, GILEADE, HYDRA, OCEAN HAIR, SMITH, STEIN, JOHKEO, MIRRA PERFUMES, BIORENOV, OFICIAL FARMA, BELLALUCE, BONITA, JOLIE, SARÁBI, GOLDENLIEF E BISYOU).

Scene 3 (5m 40s)

PASSOS PARA FORMULAÇÃO

Entender Público Alvo

Qual tipo de cabelo ?

Formas Cosméticas

Xampus e Pós xampus

Tecnologias

Xampus: transparente, balsâmico, 2 em 1 e específicos

Pós Xampus: tensoativo catiônico, 2º Geração, 3º Geração e Co-Wash .

Scene 4 (5m 58s)

aaaa uqa

TIPOS DE CABELOS

A composição da fibra capilar - Focando no córtex - Educadores da Beleza - Comunidade de Colorimetria Avançada

A composição da fibra capilar - Focando no córtex - Educadores da Beleza - Comunidade de Colorimetria Avançada

Scene 5 (7m 1s)

Xampu

Desenho Bolhas - Bolha de Sabão PNG de alta resolução grátis

Desenho Bolhas - Bolha de Sabão PNG de alta resolução grátis

Scene 6 (8m 47s)

Xampu

Atributos = Qualidade/ Características - Facilidade de pentear o cabelo - Limpeza sem agredir o cabelo - Limpeza anti-resíduos - Brilho - Maciez

Scene 7 (9m 30s)

TIPOS DE XAMPUS Classificação baseada no poder de Limpeza e Espumação Alta Concentração de tensoativos Alto poder de limpeza + espumação intensa Média Concentração de tensoativos Limpeza moderada e espumação cremosa Tensoativos aniônicos + anfótero Baixa Espumação Limpeza suave, moderada espumação, sem sulfato Tensoativo aniônico + anfótero

Scene 8 (10m 31s)

Sistema tensoativo Deve proporcionar limpeza com formulações específicas para cada tipo de cabelo Sistema de condicionamento Definido de acordo com os atributos esperados para a formulação Agente espessante Fundamental para a estabilidade e deposição do sistema de condicionamento Deve atender os apelos mercadológicos Não pode causar irritações (pele e olhos) Deve formar micelas capazes de realizar limpeza

ANATOMIA DO XAMPU

Scene 9 (12m 22s)

SISTEMA TENSOATIVO Tensoativos Primários & Tensoativos Secundários - Promovem boa limpeza e espumação, devem ser facilmente removida no enxague - Os tensoativos secundários podem aumentar a suavidade do xampu com misturas de tensoativos, ajudando no sensorial e controlando a intensidade da espumação. NOTA: Tensoativos não iônicos e anfóteros Alquil poliglucosídeos + Betaínas apresentam espuma cremosa e suavidade podendo ser usado como produtos faciais e infantis.

TENSOATIVO / CARGA ANF6TER0 ZWITERlöNlC0 NAO-IONICO PRINCIPAL FUNCÅo Detergencia e formavåo de espuma Caratteristica dependente do pH Caracteristica independente do pH Ernulsionante, solubilizante, detergente

Scene 10 (13m 25s)

SISTEMA TENSOATIVO Tensoativos Primários & Tensoativos Secundários - Promovem boa limpeza e espumação, devem ser facilmente removida no enxague - Os tensoativos secundários podem aumentar a suavidade do xampu com misturas de tensoativos, ajudando no sensorial e controlando a intensidade da espumação. NOTA: Tensoativos não iônicos e anfóteros Alquil poliglucosídeos + Betaínas apresentam espuma cremosa e suavidade podendo ser usado como produtos faciais e infantis.

TENSOATIVO / CARGA ANF6TER0 ZWITERlöNlC0 NAO-IONICO PRINCIPAL FUNCÅo Detergencia e formavåo de espuma Caratteristica dependente do pH Caracteristica independente do pH Ernulsionante, solubilizante, detergente

Scene 11 (15m 15s)

TIPOS DE XAMPUS Em relação ao sistema tensoativo

XAMPU SULPHATE FREE Tensoativos anfóteros e não iônicos LOW POO Sistema de tensoativos sem sulfato LOW DAMAGE Leve detergência Tensoativos aniônico com anfótero e/ou não iônico Espumação e limpeza suave

Scene 12 (16m 22s)

FÓRMULA OU COMPOSIÇÃO CENTESIMAL / FORMULAÇÃO CENTESIMAL Na coluna nome químico caso a matéria-prima seja em solução é mandatório incluir a concentração das matérias-primas. Não se deve colocar qsp na coluna de porcentagem . Ao colocar o veículo colocar a exata quantidade a ser adicionada em % Fechar a fórmula com 100%.

Scene 13 (17m 35s)

Formulaqäo Centesimal simplificada Nome Quimico Lauril Eter sulfato de Söd10 2E 27% Coco Amido I detai 30% Guar cloreto de Hidroxi -l amomo Emulsäo de Silicone 25% EDTA Wstura de Isotlasolidinonas F räncia Bea Cloreto de Söd10 Corante Azul . aqao 70 010 015 0,15 0 30 1 oo 001 64 59 10000

Formulaqäo Centesimal simplificada Nome Quimico Lauril Eter sulfato de Söd10 2E 27% Coco Amido aetai Guar cloreto de Hidroxi -l amono Emulsäo de Silicone 25% EDTA Wstura de Isotlasolidinonas F räncia Bea Cloreto de Söd10 Corante Azul 315 70 0,10 0,15 015 0,30 001 64 59 10000 Quantidade de agua 100 somatåria de todos os ingredientes

Scene 14 (18m 44s)

FORMULANDO UM XAMPU Quais são as necessidades do consumidor ? Restrições ? Quais serão os tensoativos que eu vou usar ? Qual concentração de tensoativo vou usar a 100% ? Inicie a estratégia de formulação pensando no sistema tensoativo a 100% Faça o cálculo de acordo com a disponibilidade da matéria-prima

Scene 15 (22m 54s)

TABELA ORIENTATIVA DE % A 100% DE TENSOATIVO ANIÔNICO E ANFÓTERO PARA XAMPU

Tensoativo ANIÖNICO Valores a 100% ANFÖTERO Valores a 1 000/0 Cab Seco 5a6 1,5a2 Cab Normal 6-8 1,5a2 Cab Oleoso 8-10 1,5a2

Estas são quantidades orientativas e devem ser o ponto de partida para fazer as formulações centesimais. Os ajustes de formulação devem ser feitos após testes in vitro (mechas), in vivo e testes de estabilidade.

Scene 16 (23m 15s)

SISTEMA DE TENSOATIVO DISPONÍVEIS PARA FORMULAR Matérias-primas: Lauril Éter Sulfato de Sódio 2 EO 27% Lauril Éter Sulfato de Sodio 2 EO 70% Lauril Éter Sulfosuccinato de sódio 30% Coco Amido PropilBetaina 30% Lauril Poli Glicosídeo 50% CocoilIsetionatode sódio 100% CocoilGlutamato Disodico 40%

Scene 17 (24m 14s)

Qual concentração devo colocar na fórmula centesimal dos seguintes blends : 7% de ativo a 100% de Lauril Éter Sulfato de Sódio a 27% ? + 2% de ativo a 100 de Coco Amido PropilBetaína 30% ? a) LESS a 27% ________________ 25,9% 100 - 27 x - 07 x = 25,9 %

Qual concentração devo colocar na fórmula centesimal dos seguintes blends : 7% de ativo a 100% de Lauril Éter Sulfato de Sódio a 27% ? + 2% de ativo a 100 de Coco Amido PropilBetaína 30% ? b) CAPB 30% _________________ 6,7% 100 - 30 x - 02 x = 6,67 %

EXERCÍCIOS

Scene 18 (25m 23s)

Qual concentração devo colocar na fórmula centesimal dos seguintes blends : 7% de ativo a 100% de Lauril Éter Sulfato de Sódio a 27% ? + 2% de ativo a 100% de Coco Amido PropilBetaína 30% ? a) LESS a 27% ________________ 25,9% 100 - 27 x - 07 x = 25,9 %

Qual concentração devo colocar na fórmula centesimal dos seguintes blends : 7% de ativo a 100% de Lauril Éter Sulfato de Sódio a 27% ? + 2% de ativo a 100% de Coco Amido PropilBetaína 30% ? b) CAPB 30% _________________ 6,7% 100 - 30 x - 02 x = 6,67 %

EXERCÍCIOS

Scene 19 (27m 12s)

FORMULAÇÃO CENTESIMAL

Nome Quimico Laurii Eter sulfat de Sddio 2EO Coco Amido Pro il Betaina 30% 0/0 259 6,70

Scene 20 (28m 0s)

XAMPU ANTI RESÍDUOS Sistema tensoativo de alta limpeza e espumação Sem ingredientes de condicionamento Deve ser levemente alcalino , pH maior que 7,5 - 8,5, para deixar o poder detergente mais agressivo

Scene 21 (28m 48s)

SISTEMAS DE CONDICIONAMENTO A origem dos xampus condicionantes está nos xampus balsâmicos 1960 por Des Goddard. Existem dois tipos de tecnologias mais usadas para formular xampus.

XAMPU BALSÂMICO Baixo Condicionamento Tensoativos + Polímeros catiônicos

XAMPU CONDICIONANTE (2 em 1) Médio a alto condicionamento Emulsão de Silicone + Polímeros catiônicos

Scene 22 (29m 44s)

XAMPU BALSÂMICO:

Utilização somente de polímero catiônico na FORMULAÇÃO Exemplo de Polímeros usados: Uso do Polyquaternium-10 CONCENTRAÇÃO : 0,1 a 1% para composições transparentes ou translucidas Uso do Jaguar C 13 S (Guarcloreto de Hidroxipropilamônio) CONCENTRAÇÃO : 0,1 a 0,3% ATENÇÃO : O Polyquaternium-7 NÃO COMPÕE A TECNOLOGIA 2 EM 1 – É UM LUBRIFICANTE LÍQUIDO

Scene 23 (30m 28s)

Polímero: Usado Jaguar C 13 S (Guarcloreto de Hidroxipropilamônio ) CONCENTRAÇÃO : 0,1 a 0,2 % + Silicone: Emulsões / Microemulsões de Silicones(quanto menor o tamanho da partícula melhor a formação de filme no fio capilar) CONCENTRAÇÃO : 0,4 a 1,0 % Emulsão de Silicone aniônica

XAMPU 2 EM 1

Scene 24 (31m 4s)

Mecanismo de condicionamento: Formação de coacervado entre o polímero e as partículas de silicone que se depositam no fio do cabelo .

XAMPU 2 EM 1

Scene 25 (31m 47s)

MECANISMO DE DEPOSIÇÃO DO SISTEMA CONDICIONANTE – ADSORÇÃO A adsorção se dá geralmente por via da substantividade. Os ingredientes substantivos são aqueles que conseguem permanecer adsorvidos sobre os cabelos mesmo após o enxágue.

Scene 26 (32m 38s)

INGREDIENTE DE APARÊNCIA PEROLIZANTE

Produto com aspecto cremoso e/ou perolado A Base Perolizante é uma mistura de tensoativo aniônico, éster de glicol e água, amplamente utilizado como perolizante em sistemas detergentes. Sendo utilizada em processos a frio , proporciona economia de energia . Concentração : 2,0 a 4,0%

Scene 27 (33m 30s)

ESPESSAMENTO DE XAMPU

Percepção de viscosidade Evitar que o produto escorra entre os dedos Evitar sedimentação do perolizante

Scene 28 (36m 15s)

Diestearato de Polietilenoglicol 6000 Concentração sugerida: 1 a 3% CROTHIX – PEG 150 Pentaerythrityl Tetrastearate Concentração sugerida: 0,25 a 5% Copolímero derivado do ácido acrílico Concentração sugerida: 0,2 a 1,5% Goma xantana Concentração sugerida: 0,3 a 3% NaCl Espessamento depende diretamente da estrutura micelar dos tensoativos.

MATÉRIAS-PRIMAS INDICADAS

Scene 29 (36m 35s)

OUTROS INGREDIENTES EDTA -0,1 a 0,15 % Fragrância -0,3 % até cobrir a base Conservante -depende da indicação Aspecto Toxicológico • Enxaguável • Permanece sobre a pele • Contato com mucosas • Produto infantil Ex. mistura de Isotiazolidinona 0,10% Parabenos e Fenoxitanol 0,4% Etilexilglicerina – incompatível com LESS

ESPECIFICAÇÕES DE XAMPU Aspecto líquido viscoso sem grumos ou partículas em suspensão Cor - conforme solicitação Odor – conforme solicitação pH 5,5 a 6,5 Uso de corretores de pH no final Corretores de pH: Solução de Ac. cítrico Solução de NaOH Viscosidade – conforme solicitação Baixa viscosidade / Média viscosidade / Alta viscosidade

Scene 30 (38m 21s)

OUTROS INGREDIENTES EDTA -0,1 a 0,15 % Fragrância -0,3 % até cobrir a base Conservante -depende da indicação Aspecto Toxicológico • Enxaguável • Permanece sobre a pele • Contato com mucosas • Produto infantil Ex. mistura de Isotiazolidinona 0,10% Parabenos e Fenoxitanol 0,4% Etilexilglicerina – incompatível com LESS

ESPECIFICAÇÕES DE XAMPU Aspecto líquido viscoso sem grumos ou partículas em suspensão Cor - conforme solicitação Odor – conforme solicitação pH 5,5 a 6,5 Uso de corretores de pH no final Corretores de pH: Solução de Ac. cítrico Solução de NaOH Viscosidade – conforme solicitação Baixa viscosidade / Média viscosidade / Alta viscosidade

Scene 31 (41m 13s)

XAMPUS ESPECÍFICOS Exemplo: Xampu anticaspa ( Grau 2 ) / Xampu matizador: Os ingredientes ativos são fundamentais e responsáveis pela ação na formulação. Sem os ingredientes ativos não há como oferecer os benefícios. As concentrações dos ativos são estabelecidos pela ANVISA.

Scene 33 (45m 14s)

ATRIBUTOS VALORIZADOS PELA CONSUMIDOR(A) Antes do uso: Na Gôndola: Aparência, Perfume e Viscosidade Durante o uso – Cabelo Molhado: Facilidade de Espalhar Facilidade de Pentear Facilidade de Enxaguar Depois do Uso – Cabelo Seco: Facilidade de Pentear Maciez Brilho Redução de Frizz

Scene 34 (45m 30s)

Condicionador Emulsão com tensoativo catiônico Neutraliza as cargas do xampu Lubrificação dos fios Melhor caimento Melhor brilho (fechamento das escamas)

Proporcionam reflexo da luz no cabelo

Tensoativo aniônico Auxiliar de penteabilidade Efeito “desembaraçante"

Adere bem nas superfícies Pouco retirado pelo enxágue Pouco solúvel em água

Confere peso ao fio

Pode ser aumentada pela adição à formulação de ingredientes de lubrificação como os silicones, emulsões quaternizadas e emolientes

Mecanismo de ação dos condicionadores

Scene 35 (47m 5s)

Comercialmente em soluções de 25% a 75% Incompatíveis com tensoativos aniônicos Precipitam com íons de dureza de água, ferro e metais pesados Exemplos: - Cloreto de cetiltrimetilamônio - Cloreto de dialquildimetilamônio

TENSOATIVOS CATIÔNICOS

Tensoativos Catiônicos Emulsionantes Formação da fase lamelar em camadas Comercialmente soluções de 29% e 50%

EMULSÃO CATIÔNICA

Scene 36 (47m 53s)

Comercialmente em soluções de 25% a 75% Incompatíveis com tensoativos aniônicos Precipitam com íons de dureza de água, ferro e metais pesados Exemplos: - Cloreto de cetiltrimetilamônio - Cloreto de dialquildimetilamônio

TENSOATIVOS CATIÔNICOS

Tensoativos Catiônicos Emulsionantes Formação da fase lamelar em camadas Comercialmente soluções de 29% e 50%

EMULSÃO CATIÔNICA

Scene 37 (48m 42s)

FORMULAÇÃO TÍPICA DE UM CONDICIONADOR

Fungäo Tensoativo Catiönico a Emulsionantes Emolientes , Lubrificantes SHT caso haja a adigäo de Oleos vegetais Espessante de Fase Oleosa Espessante de fase Aquosa Ingredientes de Condicionamento Polimeros Quaternizados Ingrediente Quelante Conservante (pode æorrer a adiqäo de sistemas de conserva$o) Ingrediente Emotivo /Ativo Soluqäo Corante Fragrancia Agua Total 3-12% Até 5 % -0,3 0,01 - 0,2- 1% 100- somat6ria da concentragåo de matérias- primas 100,0

Scene 38 (50m 26s)

Uso dos “ berrentrimônios ”, que poderíamos classificar como a segunda geração dos quaternários de amônio Devido a reações Adversas do Cloreto de cetiltrimetilamônio irritação ocular e até opacificação da córnea Este fato normalmente é relacionado à cadeia graxa: -16 carbonos, que é considerada potencialmente mais irritante para a pele (ou couro cabeludo) -22 carbonos dos berrentrimônios Outros fatores como: substantividade e suavidade nos cabelos também corroboraram para que os berrentrimônios tivessem seu uso ampliado porque, quanto maior a cadeia graxa, maior a substantividade à fibra capilar e a adição ou associação destes quaternários especiais com Cloreto de Cetrimônio , tornava os produtos mais condicionantes e suaves.

TECNOLOGIA DE CONDICIONADORES 2º GERAÇÃO

Scene 39 (51m 19s)

Uso dos “ berrentrimônios ”, que poderíamos classificar como a segunda geração dos quaternários de amônio Devido a reações Adversas do Cloreto de cetiltrimetilamônio irritação ocular e até opacificação da córnea Este fato normalmente é relacionado à cadeia graxa: -16 carbonos, que é considerada potencialmente mais irritante para a pele (ou couro cabeludo) -22 carbonos dos berrentrimônios Outros fatores como: substantividade e suavidade nos cabelos também corroboraram para que os berrentrimônios tivessem seu uso ampliado porque, quanto maior a cadeia graxa, maior a substantividade à fibra capilar e a adição ou associação destes quaternários especiais com Cloreto de Cetrimônio , tornava os produtos mais condicionantes e suaves.

TECNOLOGIA DE CONDICIONADORES 2º GERAÇÃO

Scene 40 (51m 48s)

Uso dos “ berrentrimônios ”, que poderíamos classificar como a segunda geração dos quaternários de amônio Devido a reações Adversas do Cloreto de cetiltrimetilamônio irritação ocular e até opacificação da córnea Este fato normalmente é relacionado à cadeia graxa: -16 carbonos, que é considerada potencialmente mais irritante para a pele (ou couro cabeludo) -22 carbonos dos berrentrimônios Outros fatores como: substantividade e suavidade nos cabelos também corroboraram para que os berrentrimônios tivessem seu uso ampliado porque, quanto maior a cadeia graxa, maior a substantividade à fibra capilar e a adição ou associação destes quaternários especiais com Cloreto de Cetrimônio , tornava os produtos mais condicionantes e suaves.

TECNOLOGIA DE CONDICIONADORES 2º GERAÇÃO

Scene 41 (52m 20s)

TECNOLOGIA DE CONDICIONADORES 3° GERAÇÃO AMIDOAMIDAS

Stearamidopropil dimetilamina tem um grupo amina terciária na sua cadeia graxa que gera características únicas de compatibilidade com aniônicos e catiônicos Como o produto é uma amina é necessário neutralizá la com ácidos como lático ou cítrico para que a molécula se comporte como um emulsionante catiônico em torno de pH 3 a 4,5 Esta nova molécula tem uma característica diferente dos quaternários de amônio

Fonte: http://www.happi.com/contents/view_features/2007 02 06/ formulating non traditional hair conditioners

Scene 42 (52m 48s)

TECNOLOGIA DE CONDICIONADORES 3° GERAÇÃO AMIDOAMIDAS

Stearamidopropil dimetilamina tem um grupo amina terciária na sua cadeia graxa que gera características únicas de compatibilidade com aniônicos e catiônicos Como o produto é uma amina é necessário neutralizá la com ácidos como lático ou cítrico para que a molécula se comporte como um emulsionante catiônico em torno de pH 3 a 4,5 Esta nova molécula tem uma característica diferente dos quaternários de amônio

Fonte: http://www.happi.com/contents/view_features/2007 02 06/ formulating non traditional hair conditioners

Scene 43 (53m 11s)

CARACTERÍSTICAS DOS NOVOS MATERIAIS CATIÔNICOS AMIDOAMIDAS Efetivo no controle de viscosidade do produto Proporcionando lubrificação durante o enxague aumentando a facilidade de pentear Doador de brilho melhorando a textura e modelando o cabelo Na tecnologia desenvolvida com esses ingredientes, fornecem temporariamente a formação de uma superfície no fio capilar na qual há ocupação por material orgânico

Scene 44 (54m 12s)

O QUE É UM CONDICIONADOR CO-WASH? Higieniza as madeixas e as trata com suavidade Tecnologia de Condicionador utilizando tensoativos catiônicos de 2 ou 3 geração mais suaves sem ingredientes da família dos petrolatos , às vezes com tensoativos anfóteros ou não sulfatados.

Scene 45 (55m 17s)

OBRIGADO PELA ATENÇÃO !

Para mais informações ou tirar dúvidas, entrar em contato no WhatsApp! (11) 96019-4693

Scene 46 (55m 23s)

OBRIGADO PELA ATENÇÃO !

Para mais informações ou tirar dúvidas, entrar em contato no WhatsApp! (11) 96019-4693