Alcalose em ruminantes

Published on
Scene 1 (0s)

Alcalose em ruminantes

Alunos(as): Clara Aparecida Pontes Miranda, Nicoli de Oliveira Bertelli, Pietra Ellen da Silva.

Scene 2 (26s)

O que é?

É uma disfunção digestiva originada por desequilíbrio na dieta, determinando um aumento na concentração de radicais NH3 no rúmen.

Scene 3 (52s)

Principais causas dessa alteração:

Consumos de alimentos contaminados com terra; Intoxicação com ureia; Alto conteúdo de nitratos e nitritos em algum componente da dieta; Fornecimento de alimentos com alto conteúdo de substancias nitrogenadas (como, proteína e ureia); Aplicação de grandes quantidades de substancias alcalinizantes (como, NaHCO3 e MgO ); Aporte deficiente de glicídios e simultâneo fornecimento de substancias nitrogenadas.

Scene 4 (1m 20s)

Patogenia

Tem início com o consumo excessivo de substancias nitrogenadas ou compostos alcalinizantes, assim gerando uma elevada produção de NH3, a qual ao não ser utilizada adequadamente, acumula-se, aumentando o pH ruminal . Nestas condições, os protozoários diminuem e desencadeia-se uma alcalose metabólica, tendo como consequência a diminuição do cálcio ionizável no sangue.

Scene 5 (1m 45s)

Sinais clínicos

Anorexia; Diminuição da ruminação e da motilidade ruminal ; Hipersalivação ; Diminuição da produção leiteira; Alterações reprodutivas; Diminuição na qualidade do sêmen ; Diminuição na vitalidade de terneiros nascidos de vacas com alcalose ruminal ; Timpanismo residual leve; Tremores e espasmos.

Scene 6 (2m 12s)

Diagnóstico

Anamnese; Exame físico; Análise do líquido ruminal , urina e leite.

Scene 7 (2m 20s)

Tratamento

O que fazer em: Casos leves Casos graves

Scene 8 (2m 28s)

Prevenção

Fornecer alimentos balanceados com níveis adequados de proteínas, substancias nitrogenadas e compostos alcalinizantes. Quando houver a utilização da ureia, é necessário uma adaptação de forma gradual dos animais.

Scene 9 (2m 52s)

Conclusão

Para evitar que esse problema ocorra é necessário tomar cuidados com a alimentação fornecida ao animal, sempre observando o animal e seguindo uma dieta balanceada para que não haja consumo excessiva que desencadeie a alcalose ruminal .