A representação da mulher na lírica camoniana

Published on
Scene 1 (0s)

A REPRESENTAÇÃO DA MULHER

NA LÍRICA CAMONIANA

Português & Área de Integração

Curso Profissional de Desporto

Trabalho realizado por :

Maria Eloy, nº 15

Maria Inês, nº 16

Verónica Água, nº 27

Eva Marques, nº 29

Scene 2 (16s)

INTRODUÇÃO

• A poesia lírica camoniana revela-se nos textos de inspiração renascentista - nos

sonetos, odes, canções, etc. – nos quais está expressa a sua constante reflexão sobre a vida humana, a análise do contraditório mundo dos sentimentos, principalmente o amor, o qual tem a manifestação platónica.

• Camões recebeu diversas influências na sua obra lírica, mas foi capaz de

desenvolver, de modo criativo, temas comuns aos poetas de seu tempo, e até anteriores.

• Das características da poesia lírica camoniana, destacamos a visão idealizada da

mulher, que por influência de Petrarca é vista como um ser superior, representando o amor absoluto

• Contudo, Camões também fala da atração que o amor físico exerce sobre ele.

Scene 3 (52s)

A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA

LÍRICA CAMONIANA

• Na poesia lírica camoniana há uma confrontação entre dois tipos de mulher,

uma de configuração espiritual e a outra corporizada e associada à sedução do sujeito poético. Correspondem assim respetivamente a dois ideais de mulher:

 a primeira corresponde a mulher petrarquista de configuração espiritual,

distante e abstrata

 a segunda associada ao ideal de Vénus, corporizada e com uma profunda

sensualidade

Scene 4 (1m 14s)

A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA

LÍRICA CAMONIANA ( CONTINUAÇÃO)

• Camões, seguindo as ideias de Petrarca, caracteriza a mulher como um ser sem

corpo visível, na qual prevalecem a serenidade, a harmonia e os traços psicológicos de um modo geral. Isto confere à figura feminina uma dimensão etérea, que a coloca num plano inacessível. Daí surge a dificuldade da caracterização física da mulher (“Um mover d’olhos, brando e piadoso”).

• A mulher petrarquista é um ideal de mulher enquanto ser superior, servida

pelo amado, estabelecendo-se, assim, uma relação entre vassalo e suserano, à semelhança do que ocorria na poesia provençal – que influencia a nossa cantiga de amor.

Scene 5 (1m 45s)

A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA

LÍRICA CAMONIANA ( CONTINUAÇÃO)

• Ao ideal de Vénus, pelo contrário, está associada uma figura feminina que é

corporizada, ou seja, com contornos definidos e palpáveis e de uma intensa sensualidade (“Descalça vai para a fonte”). Porém, a mulher também é inacessível, pois o conceito de amor está associado à frustração inerente à experiência amorosa de Camões (“Erros meus, má fortuna, amor ardente”), a figuras mitológicas (“Circe”) e a locais utópicos («Alma minha gentil que te partiste»). Este ideal corresponde à exaltação sensível e terrena do amor.

Scene 6 (2m 11s)

OS TIPOS DE MULHER E O AMOR

• Poderemos dizer que os dois tipos de mulher que encontramos nos sonetos

de Camões correspondem assim a dois tipos de entendimento do amor (espiritual e carnal).

• 1º) a que é intocável, misteriosa, sempre ausente mesmo quando presente __ a

ausência é a sua presença ou a presença é a sua ausência, ela está sempre para além do “ véu terrestre “, perante a qual o poeta se coloca de joelhos em atitude de vassalagem e de adoração.

• 2º) mulher terrena, modelada de formas ondulantes e atraentes, perante a qual

o homem se sente irresistivelmente atraído; é a Vénus que enche Os Lusíadas e cujas formas graciosas apaziguam tempestades e vinganças.

Scene 7 (2m 44s)

BIBLIOGRAFIA

• https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/24566

• https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/24566

• https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/24566